por Ana Campos


Por opção ou por falta dela, o russo-americano Vladimir Nabokov fez, ao longo dos 78 anos de vida, um considerável tour pelo Ocidente. Abaixo, selecionamos alguns dos principais pontos da rota biográfica do autor de Lolita.

CASA MUSEU EM SÃO PETERSBURGO

Foi na rua Bolshaya Moskaya, 47, em um dos bairros mais antigos da cidade, que Nabokov nasceu, em 22 de abril de 1899. A família viveu ali até 1917, quando teve de emigrar da Rússia.

Casa de Nabokov, em São Petersburgo, na Rússia
Prédio onde Nabokov morou em São Petersburgo

A mansão passou por vários donos e algumas reformas até se tornar um dos símbolos da arquitetura Art Nouveau de São Petersburgo.

Hoje, o primeiro andar abriga o Museu Nabokov, dedicado ao escritor, com artigos pessoais, livros, desenhos e uma coleção de borboletas caçadas por ele – um dos seus hobbies.

ESCOLA TENISHEV

Aos 12 anos, Nabokov ingressou na renomada Escola Tenishev, fundada em 1898, na Rua Mokhovaya, 33-35, em Talashkino (Rússia). A qualidade era equiparada a das escolas da realeza.

INFÂNCIA EM VYRA

Foi numa propriedade rural da família, localizada no Vilarejo de Vyra (próximo a São Petersburgo), que Nabokov passou boa parte de sua infância, sobre a qual escreve no livro Fala, Memória.

BERÇO NORTE-AMERICANO DE LOLITA

Em 1940, Nabokov se mudou para os Estados Unidos. Passou por várias cidades norte-americanas, mas foi em Ashland, no Oregon, que o escritor terminou sua obra-prima, Lolita. Vivia, então, em uma pequena casa alugada na Rua Mead, 163. Anos depois, o local praticamente foi abaixo após um incêndio. Mesmo assim, ainda atrai turistas curiosos para ver a casa onde nasceu a ninfeta mais conhecida do meio literário. Ashland também é famosa por sediar o anual “Oregon Shakespeare Festival”.

 Vladimir Nabokov em Ithaca, Nova York, em 1958 (Foto Carl Mydans)
O escritor Vladimir Nabokov, em 1958 (Foto Carl Mydans)

RUSSO-AMERICANO ENTERRADO NA SUÍÇA

De uma bronquite morreu Nabokov, em Montreux, na Suíça, em 2 de julho de 1977. Foi cremado, e suas cinzas levadas para o Cemitério Clarens, localizado numa pequena vila de Montreux.


PARA LER

  • Lolita, de Vladimir Nabokov (Objetiva)