por Ana Campos

 

Nunca pensei, quando escrevi meus primeiros livros solitários, que com o passar dos anos me encontraria em praças, ruas, fábricas, salas de aula, teatros e jardins, dizendo meus versos. Percorri praticamente todos os rincões do Chile, derramando minha poesia entre a gente de meu povo (Pablo Neruda)”

 

No itinerário biográfico, Valparaíso (120 km de Santiago) é um dos lugares que mais preserva o espírito de Pablo Neruda. Como disse Sara Vial, amiga íntima e autora de “Neruda vuelve a Valparaíso”, os nomes do escritor e da cidade se uniram em poemas e canções, em vistas que pertencem a ambos.

Descontente com a capital, Neruda quis viver nesta cidade portuária rodeada por 45 morros, a quem dedicou versos desde a adolescência antes mesmo de conhecê-la, “como uma amada invisível e magnética”, nas palavras de Vial.

Na região, estão duas das suas residências mais famosas que, para virarem museus póstumos, contaram com uma forcinha do próprio dono. O Nobel, colecionador aficionado, formou um acervo incomum. Muitas das relíquias foram adquiridas em uma loja de antiguidades ainda em funcionamento no centro da cidade, onde fica também um dos seus restaurantes preferidos.

Abaixo, listamos alguns dos principais pontos representantes dessa relação, que nas mãos de Neruda virou poesia.

Pablo Neruda

LA SEBASTIANA

Neruda queria fugir da correria de Santiago. Mas não para um lugar qualquer. Desejava se mudar para Valparaíso.

Era importante que a nova residência não estivesse nem no topo de ladeiras nem na planície. Fosse solitária, mas não em excesso; original, mas sem incomodar; nem muito grande nem muito pequena; afastada, mas abastecida de serviços comerciais. E barata – é preciso incluir.

Eis que um imóvel descoberto por Sara Vial parecia ter um surpreendente potencial de atender às demandas do escritor. De quatro andares, havia sido construído por um espanhol chamado Sebastián Collado (daí o nome), morto há anos, e estava abandonada.

lasebastiana2

Após três anos de adaptações, a casa ficou pronta em 1961, e Neruda decorou-a com fotos antigas do porto e um grande retrato de Walt Whitman. Como o tamanho era maior do que o poeta esperava, dividiu-a com um casal, cabendo a ele a torre e o terceiro e quarto andares.

Localizada no Cerro Florida, La Sebastiana oferece uma das melhores vistas panorâmicas de Valparaíso. Atualmente, funciona como um centro cultural, recebendo exposições, palestras, oficinas e saraus.

Endereço
Ricardo de Ferrari, 692

Horário de funcionamento
Março a Dezembro: Terça a domingo, das 10h10 às 18h.
Janeiro e Fevereiro: Terça a domingo, das 10h30 às 18h50.
Segunda-feira: fechado.

Como chegar
Metrô mais próximo: Bellavista (1,3 km, cerca de 20 minutos caminhando).
É possível pegar ônibus na avenida Argentina e na praça Equador.

 

ISLA NEGRA

isla_negra3

Esta é uma das três famosas residências de Neruda no Chile, localizada na região de Valparaíso e eleita sua preferida. A arquitetura remete a um barco, com tetos baixos, pisos de madeira e corredores estreitos, harmonizando com o Oceano Pacífico, que lhe serve como um privilegiado quintal.

O poeta, amante do mar, comprou-a ainda inacabada em 1938 de um marinheiro espanhol. Fazia pouco tempo que havia regressado da Europa e buscava um lugar para se dedicar a “Canto Geral”, que viria a ser sua obra-prima. O arquiteto catalão Germán Rodríguez ficou incumbido das reformas, que duraram quase dois anos, de 1943 a 1945.

Isla Negra registra mais de 3.500 objetos em seu acervo, como garrafas de vidro coloridas, barcos engarrafados, caixas de insetos, mapas, réplicas de veleiros, conchas, e serviu de inspiração para o seu livro “Memorial de Isla Negra”, que compila memórias em forma de versos.

Endereço
Poeta Neruda, s/n, Isla Negra

Horário de funcionamento
Março a dezembro: terça a domingo, das 10h às 18h.
Janeiro e fevereiro: terça a domingo, das 10h às 20h.
Segunda-feira: fechado.

Como chegar
Empresas de ônibus que fazem o percurso:
Valparaíso – Isla Negra: Pullman Bus
Valparaíso – El Quisco: Tur Bus
Saem do terminal de Valparaíso, na avenida Pedro Montt, 2851, em frente ao Congresso Nacional.

 

RESTAURANTE MENZEL

O restaurante Menzel no centro de Valparaíso era um dos preferidos de Neruda, que costumava pedir caldo de congro e vinho para acompanhar. O estabelecimento foi inaugurado em 1933 e ainda funciona.

523829_428529630544441_2132803703_n

Endereço
Las Heras, 563

Horário de funcionamento
Segunda a sexta: das 12h às 22h.
Sábado e domingo: das 12h às 17h.

Como chegar
Francia é a estação de metrô mais próxima.

EL ABUELO

Foi na loja de antiguidades El Abuelo que Pablo Neruda adquiriu muitas das relíquias que decoram suas casas. A loja existe há mais de 50 anos no mesmo endereço e recebeu título de patrimônio cultural de Valparaíso. Nas estantes, é possível encontrar moedas antigas, relógios de parede, esculturas e pinturas.

Sem título

Endereço
Independencia, 2071. Em frente à igreja dos Padres Franceses. Fica a 220 metros do restaurante Menzel.

 

NERUDA CLANDESTINO

024

A duas quadras da avenida Argentina, principal via de Valparaíso, está um dos esconderijos de Pablo Neruda, que, sofrendo perseguição política em 1948, precisou viver clandestinamente. O chileno morou no subsolo desta grande casa, na época propriedade de uma família comunista. Segundo Darío Oses, biógrafo de Neruda, esta foi a única residência alternativa citada pelo poeta em suas memórias. Hoje, uma placa identifica o lugar, mas os atuais donos lutam para fazer do espaço um centro cultural.

Endereço
Cervantes, 14.

Como chegar
Barón é a estação de metrô mais próxima.


PARA LER

  • Canto geral, Pablo Neruda (Bertrand Brasil)
  • Memorial de Isla Negra, Pablo Neruda (L&PM)

 

 

*Colaboração: chilena e amiga de Concon, Cynthia Leiva Tapia