balzacs coffee
Cartaz de uma das lojas da canadense Balzac’s Coffee

por Andréia Martins


Quem conhece um pouquinho da história do escritor francês Honoré de Balzac (1799-1850) sabe que ela era enlouquecido por café. Aqui mesmo no Roteiros já falamos desse vício. Ele dedicou o texto The Pleasures and Pains of Coffee (em tradução livre,”Os prazeres e as dores do café” – leia o texto aqui, em inglês) à bebida. O francês escreve que vem observando os efeitos em escala épica do café em sua vida.

O vício de Balzac pelo café é tão conhecido que inspirou a abertura de redes de cafés em países como Canadá, Alemanha, França, claro, e Finlândia. E para fazer valorizar o homenageado, todas essas cafeterias levam o nome do francês na marca. Para quem estiver de passagem por um desses países, listamos quais são esses cafés, lugares charmosos para sentar, tomar um expresso e, por que não, ler um bom livro.

BALZAC’S COFFEE – CANADÁ

A rede canadense foi de fato inspirada no escritor francês. Isso porque a dona da Balzac’s Coffee, Diana Olsen, é formada em letras e teve a ideia de abrir uma rede de cafés inspirada em Balzac. Após uma temporada na França, voltou para o Canadá com todas as referências necessárias e abriu o empreendimento. Em 1996 ela inaugurou a primeira loja, em Stratford, na província de Ontário. Hoje já são oito unidades pelo país, sendo cinco em Toronto, outra nas Cataratas do Niágara e uma no distrito de Tannery, também em Ontário.

Dica literária: em Toronto, uma das cafeterias da Balzac’s Coffee está localizada na moderna Biblioteca Pública de Toronto (Toronto Reference Library), uma visita que vale a pena ser feita.

A Balzac's Coffee na biblioteca pública de Toronto, no Canadá
A Balzac’s Coffee na biblioteca pública de Toronto, no Canadá

BALZAC COFFE – ALEMANHA

Quem passar pelas cidades alemãs de Berlim, Hamburgo, Hannover, Kiel, Lübeck, Potsdam e Sulzbach também pode degustar um café que leva o nome de Balzac. Bem, a rede Balzac Coffee foi criada em 1998 e tem lojas espalhadas pelas sete cidades. A rede tem um conceito de “café para viagem”, mas nem por isso deixou de fazer salões pequenos, porém aconchegantes para aqueles que querem tomar seu café sentados.

Dica literária: se estiver em Lübeck, não deixe de visitar o Museu Literário Buddenbrookhaus, no centro histórico da cidade, e onde você poderá saber mais sobre a obra de Thomas Mann e da família Mann como um todo.

Uma das lojas do Balzac Coffe, na Alemanha
Uma das lojas do Balzac Coffe, na Alemanha

CAFÉ BALZAC – FINLÂNDIA

A fria Finlândia é um dos países com mais alto índice de leitura no mundo. A combinação de mãos quentinhas na caneca e amor à literatura inspirou a abertura do Café Balzac, na Helsínquia. O lugar tem mais cara de bistrô do que de café, e traz como slogan a frase “a casa do sanduíche”. O site do local faz uma referência ao escritor francês, dizendo que ele próprio tinha “gosto de café”.

O local é pequeno e o visitante ainda pode curtir um som de jazz. Como ele fica localizado num pátio com outros estabelecimentos, os visitantes que já passaram por lá dão a dica do “não desista”: se você chegar perto e não encontrar o local, peça informações porque o Café Balzac está ali.

LE BALZAC CAFE – FRANÇA

Como não poderia deixar de ser, Balzac dá nome a um café em sua terra natal, o Le Balzac Cafe bem ao estilo francês: um café localizado na esquina (da Rua Balzac, curiosamente) e com mesinhas na calçada. Ali você pode aproveitar bem mais que o café, já que o local serve pratos saborosos da culinária local.

Dica literária: Uma vez em Paris você pode visitar a Maison Balzac, casa onde o escritor viveu na capital francesa e onde funciona o museu dedicado a ele. Ali estão lembranças pessoais do autor, móveis, edições originais e manuscritos, documentos da família Balzac e o bule especial onde ele tomava seu pretinho básico.

O Le Balzac Café, em Paris
O Le Balzac Café, em Paris