A ENTRADA DA LIVRARIA PÚBLICA AEROMOTO, NA CIDADE DO MÉXICO (Divulgação)
A ENTRADA DA LIVRARIA PÚBLICA AEROMOTO, NA CIDADE DO MÉXICO (Divulgação)

Compartilhar. Foi com este objetivo que a Aeromoto saiu do papel. E não, não estamos falando de uma nova rede social, e sim de uma livraria pública na Cidade do México que apostou num jeito diferente de oferecer seus livros e em pouco tempo se tornou um ponto charmoso – de encontro ou de leitura — na capital mexicana.

A ideia nasceu de uma vontade de Maru Calva e Mauricio Marcin. Os dois queriam compartilhar sua biblioteca pessoal com outras pessoas, mas ainda não sabiam como, se emprestando títulos apenas para os amigos ou abrindo sua casa como um espaço para consulta. Enquanto o projeto ia amadurecendo, ganhou mais dois integrantes: Jerónimo Ruedi e Macarena Hernández.

“O que une os membros fundadores da Aeromoto não são apenas os formatos editoriais, a literatura, os ensaios e a arte, mas sim a motivação de sair do circuito comercial e dar um uso comum e compartilhado aos nossos livros”, conta Macarena ao Roteiros.

As portas da Aeromoto foram abertas em 31 de janeiro de 2015. Nesses seis meses de vida, a livraria já virou um ponto de referência e conseguiu muitos parceiros que ajudam a formar o catálogo (entre elas, as editoras brasileiras Bebel Books, Lote 40 e outras. São pelo menos 40 publicações do Brasil lá). Por enquanto a livraria ainda não vende títulos, mas é o próximo passo: vender livros independentes e com proposta editorial que combine com a livraria.

“A Aeromoto funciona como um espaço público relativamente local, onde aqueles que nos conhecem e são membros vêm para levar livros, para ler e ver ali e onde os transeuntes ou vizinhos da pequena rua de Venecia se surpreendem ao se encontrar. Depois, há alguns que retornam e nos doam seus próprios livros, trazem pão árabe, fazem vídeos e divulgam na web e nos trazem quadros para decorar o espaço. São várias histórias com vizinhos, e nesse sentido, a biblioteca é um lugar para encontros sociais e cotidianos também”.

LIVROS EXPOSTOS NA LIVRARIA AEROMOTO
LIVROS EXPOSTOS NA LIVRARIA AEROMOTO

 

FOTO DESTE MÊS MOSTRA UMA OFERTA DE LIVROS DO BRASIL (Divulgação)
FOTO DESTE MÊS MOSTRA UMA OFERTA DE LIVROS DO BRASIL (Divulgação)

 

Suas “estantes abertas” ofereceram mais de 1300 títulos. Os temas variam: história da arte, crítica de arte, curadoria, arquitetura, desenho gráfico, urbanismo, espaço público, tipografia e poesia experimental. Há também monografias, catálogos, fanzines e livros de artistas.

“O catálogo é composto principalmente de nossos livros e acervos específicos, como um envolvendo pesquisa sobre a palavra e imagem, poesia concreta, poesia visual, tipografia, livro como objeto. Há outro grupo de livros relacionados ao ensino nas artes e formas de expor arte, outro sobre vanguardas latino-americanas e arte de contestação, revoluções”, conta a fundadora.

O acervo segue crescendo. Nos próximos meses, a livraria receberá coleções internacionais como Wien Lukatsch (Alemanha), Zanna Gilbert (MoMA, NY), Helmut Batista (Brasil) e Sebastián Romo (México), e de professores locais, entre outros.

O espaço é pequeno, mas aconchegante. Ali, de dez a doze pessoas vão conseguir ocupar os bancos e mesas para ler ou trabalhar — crianças também são bem vindas. Quando há eventos, a calçada se torna extensão da livraria. “Nós temos um programa que inclui palestras, oficinas e ações de artistas relacionadas às publicações e atividades em torno da seleção de aquisições (realizada pelos editores, artistas internacionais, gestores culturais e professores locais)”, diz Macarena.

MAIS UM CANTINHO CHARMOSO DA AEROMOTO
MAIS UM CANTINHO CHARMOSO DA AEROMOTO

Para quem mora na cidade, a livraria ainda oferece empréstimos de livros. Para isso, o usuário deve se tornar membro da biblioteca, pagando uma mensalidade anual. Isso lhe dará direito a pegar de um a seis livros por 15 dias.

Aos olhos da fundadora, a Aeromoto é também um símbolo de resistência. “De certa forma, a livraria é uma utopia frente à situação do México, onde os índices de leitura são baixíssimos e a oferta educativa do governo é muito pobre, a Aeromoto propõe um espaço livre para leitura”. É só chegar e entrar.

[toggle title=”Serviço“]
Endereço: Venecia 23 (entre Liverpool e Marsella, próximo à estação de metrô Insurgentes)
Horário: Seguna a sexta das 12h às 20h; sábado das 11h às 16h
Site: http://www.aeromoto.mx/
[/toggle]


[put_wpgm id=114]