ja-centre-IV-web
(foto: Raquel Mathias)

Aqui no Roteiros a gente acredita na máxima de que a literatura aproxima as pessoas e cria novos laços. Prova disso, é mais um novo colaborador que estreia por aqui. E com o pé direito!

A Raquel Mathias é fã da Jane Austen e fez uma viagem deliciosa atrás dos cenários dos seus livros preferidos. E nada melhor que o aniversário da escritora pra gente começar a publicar esse especial Jane Austen, que será dividido em três partes. Vem com a gente!

VISITADOBATH, A PRIMEIRA PARADA

Por Raquel Mathias*

Estive na Inglaterra entre os dias 5 e 10 de maio de 2011, completamente imersa na vida e obra de Jane Austen. Na verdade, explorei mais o cotidiano da autora do que sua literatura, já que visitei as casas em que ela morou, os parques em que ela caminhou e os salões em que dançou.

Raquel com Mr. Bennet na entrada do Jane Austen Centre (foto: acervo pessoal)
Raquel com Mr. Bennet na entrada do Jane Austen Centre (foto: Raquel Mathias)

Passei a maior parte do tempo em Bath, onde Austen viveu entre os anos 1801 e 1806. A cidade é como uma viagem de volta ao século XVIII, pois muitas ruas e a arquitetura georgiana permanecem preservadas.

Jane considerava Bath um ótimo local para temporadas, mas não gostava de morar lá e nesse período houve um certo hiato criativo. Porém, hoje a cidade respira Jane Austen; além do museu dedicado a ela e a lápide de seu pai, no jardim da Igreja St. Swithin’s, os principais pontos turísticos se relacionam com sua história, pois são locais que ela frequentava.

ja-centre-web
(foto: Raquel Mathias)

Meu tour começou na manhã de quinta-feira, 5 de maio. O primeiro dia foi dedicado ao Jane Austen Museum, que fica na Gay Street, 40 – a poucos metros do número 25, onde Jane morou.

O museu é relativamente pequeno, mas possui muita informação sobre o tempo em que a autora viveu na cidade. Lá, comecei a entender um pouco mais sobre como eram as relações sociais no início do século XIX e quais as formas de entretenimento.

Figurino do filme Persuasão, de 2007 (foto: Raquel Mathias)
Figurino do filme Persuasão, de 2007 (foto: Raquel Mathias)

O museu dá um enfoque especial nas obras A Abadia de Northanger e Persuasão, ambientadas em Bath. Notei isso já na primeira sala do museu, onde está exposto o vestido usado por Sally Hawkins como Anne Elliot na adaptação de Persuasão (2007).

Há, ainda, informações sobre The Watsons, livro que Jane começou a escrever nessa época e não finalizou – talvez por conta da morte de seu pai.

ja-centre-II-web
(foto: Raquel Mathias)

Após a exposição, decidi experimentar os chás na Regency Tea Room, segundo andar da casa. Recomendo o “Tea with the Dashwoods” (torradas com geléias e chá a sua escolha) e o “A Lady’s Afternoon Tea” (sanduíches de cream cheese com pepino, geléias, pão doce e chá a sua escolha).

english-tea-web
(foto: Raquel Mathias)

Aproveitei para conhecer a lojinha do museu, há muita coisa bacana e exclusiva, mas não acho que vale a pena comprar certos produtos lá. Livros e DVDs, por exemplo, tem um preço bem acessível nas livrarias da cidade, e não se preocupe, as bookstores tem mais livros da Jane Austen que todos os outros autores juntos.

Acabei comprando The Jane Austen Pocket Bible – everything you want to know about Jane and her novels. Não sei se esse livro está a venda no Brasil, mas quem entende pelo menos um pouco de inglês não vai encontrar dificuldade em ler, já que a linguagem é bem simples.

VISITAS À PÉ

Na sexta-feira, usei as informações adquiridas no museu e programei meu próprio tour a pé. Visitei todas as residências de Austen, as Assembly Rooms (onde aconteciam os bailes), a Pump Room, o Royal Crescent, a lápide de seu pai e o Sydney Gardens, que é um dos lugares mais lindos em que já estive.

Sydney Gardens (foto: acervo pessoal)
Sydney Gardens (foto: Raquel Mathias)

Destaco dois momentos nesse dia. O primeiro foi quando eu entrei na Ballroom da antiga Upper Rooms (hoje Assembly Rooms); assim que eu entrei no salão fui tomada por uma grande emoção.

Talvez por conta de um certo fascínio pelas particularidades do referente século e por me encontrar em um local bicentenário onde aconteciam bailes e conversas oitocentistas. Percebi uma vibração muito boa ali.

sydney-gardens-web
(foto: Raquel Mathias)

Outro momento especial foi o tempo que passei no Sydney Gardens. Estava um final de tarde agradável, com o sol quente na medida certa.

Caminhei por todos os passeios do jardim e sentei à grama para ler um livro e escrever. Dias assim deveriam acontecer diariamente!

Decidi ficar em Bath no sábado para o walking tour oferecido pelo museu.

Achei interessante, a guia turística tem um bom conhecimento sobre a Jane Austen, mas o tour é realizado de forma bem apressada. Confesso que me aprofundei mais na minha própria caminhada do dia anterior, munida de livros e panfletos.

Abaixo, segue um miniguia para quem deseja realizar um tour semelhante ao meu. Esse guia é baseado em minha experiência e não pretende ser definitivo e menos ainda completo, apenas um pequeno auxílio ao viajante.

JANE EM BATH

Jane Austen esteve em Bath por duas ocasiões antes de morar na cidade. A primeira visita ocorreu em 1897; Jane ficou hospedada na casa de seus tios James e Jane Leigh Perrot. Em 1899, Austen instalou-se na cidade por seis semanas, em companhia de sua mãe e da família de seu irmão Edward.

Foi uma época feliz para Jane e esse contentamento se reflete no livro A Abadia de Northanger. Em 1801, George Austen decidiu se aposentar e mudar-se para Bath com sua esposa e as duas filhas.

Apesar de pouco se dedicar à literatura nesse tempo, Jane completou A Abadia de Northanger e iniciou The Watson. Com George vivo, a família residiu no Sydney Place, 4, próximo ao Sydney Gardens. Sobre esse jardim Jane disse:

Seria muito agradável estar perto de Sydney Gardens! Poderíamos entrar no labirinto todos os dias”.

Em seguida mudaram-se para o Green Park Building, um local mais modesto. Após a morte de George, as mulheres Austen ainda habitaram a Gay Street, 25 e a Trim Street.

Casa dos Austen na Gay Street (foto: Raquel Mathias)
Casa dos Austen na Gay Street (foto: Raquel Mathias)

Veja alguns lugares legais pra visitar:

Jane Austen Centre

  • Gay Street, 40
  • Telefone e site: 44(0)1225-443000 | janeausten.co.uk
  • Horários: Verão: todos os dias das 9h45 às 17h30; julho e agosto das 9h30 às 18h de quinta a sábado | Inverno: das 10h às 16h; aos sábados das 9h45 às 17h30
  • Adulto: £11 | +65 anos: £9.50 | Estudante: £8.50 | Criança de 6 a 16 anos: £5.50 (menores de 6  anos gratuito com um adulto) | Família: £26.00 (2 adultos com até 4 crianças)
  • Walking Tour: Adulto: £10 | +65 anos/Estudante: £8 sábados, domingos e feriados às 11h | verão: sexta-feira, sábado e domingo às 10h, 12h, 14h e 17h.

Pump Room

Um dos locais em que A Abadia de Northanger foi ambientado. Hoje é um restaurante e lá fica a fonte da famosa Spa Water, que era utilizada para tratamento medicinal. A água é quente e tem gosto ruim, mas tomar pelo menos um gole faz parte da experiência!

  • Abbey Churchyard
  • Tel: 44(0)1225-477785
  • Horários: das 9h30 às 21h (serve café da manhã, almoço, chá da tarde e jantar). Entrada gratuita

Sydney Gardens

Jardins onde Jane Austen costumava caminhar. [put_wpgm id=131] [/toggle]

Assembly Rooms

Salões onde aconteciam os bailes frequentados por Jane Austen.

  • Bennett Street
  • Tel: 44(0)1225-477789
  • Assembly Rooms: adulto £2, gratuito para crianças
  • Fashion Museum: adulto £8.25, crianças £6.25, +65 anos £7.25
  • Horários: janeiro – fevereiro das 11h às 16h março – outubro das 11h às 17h novembro – dezembro das 11h às 16h

The Royal Crescent

Uma das locações do filme Persuasão (2007). [put_wpgm id=132]

Residências onde Jane morou

– Paragon, 1 – Queen Square, 13 – Sydney Place, 4 – Green Street Buildings – Gay Street, 25 – Trim Street

OUTRAS ATRAÇÕES EM BATH:

Walking Tour

  • Tour a pé pela cidade, com duração de duas horas. Abbey Churchyard, em frente à Pump Room. Adulto: £7.50, crianças: £3.50, estudantes: £6 Horário: aos sábados às 13h30.

Passeio de barco

  • Há vários barcos que oferecem diversos tipos de passeios. Eu embarquei no Pulteney Cruisers, que navega por cerca de uma hora pelo “canal veneziano” de Bath, o Avon Canal. Adulto: £8, crianças: £4, estudantes: £6 Aberto de abril a outubro

The Circus

Em nenhum de seus livros Jane Austen cita o The Circus, mas ela tinha alguns conhecidos que moravam lá. É um importante conjunto residencial idealizado pelo arquiteto John Wood The Elder. Seu filho, John Wood The Young, construiu o Royal Crescent. São referências ao sol e a lua, respectivamente.

ONDE COMER:

  • The Porter

George Street, 15 Tel: 44(0)01225-424104 Comida vegan e vegetariana. Destaque para o prato mexicano apimentado, por £7. Horários: de segunda-feira à domingo das 9h às 22h

  • Quiosques na Cheap Street

Outras opções para comer sem gastar muito são os inúmeros quiosques que ficam na Cheap Street, próxima ao Abbey Churchyard.

HOSPEDAGEM:

  • YMCA Hostel

International House – Broad Street Place Tel: 44(0)1225-325900 Diária a partir de £31.81, com café da manhã e lençóis inclusos. Recepção 24h. Check-in: 12h | Check-out: 11h Wifi gratuito. Computadores para acesso à internet (cobrado a parte). Armários com cadeado eletrônico (cobrado a parte). Ótima localização, a 5 minutos andando do Jane Austen Centre.

  • Youth Hostel

Bathwick Hill Tel: 44(0)845371-9303 | Website: yha.org.uk Diária a partir de £18,50, café da manhã £5.25. Check-in: 13h | Check-out: 10h Wifi gratuito. Não me hospedei nesse hostel, achei afastado do centro da cidade. Porém, as comentários que li a respeito são todos positivos.

Para mais opções e outras informações turísticas

  • Bathwick Hill Tel: 44(0)845371-9303 |
  • Website: yha.org.uk
  • Não me hospedei nesse hostel, achei afastado do centro da cidade. Porém, as comentários que li a respeito são todos positivos.

O próximo post será sobre a visita a Chawton 🙂

* Raquel Mathias é estudante de História, escreve para o blog Colheita Itinerante e, vez ou outra, espalha seus poemas por aí