por Carol Cunha


Quem já leu os romances policiais do jovem escritor Raphael Montes reconheceu que o Rio de Janeiro, sua cidade natal, serve de cenário para as histórias.

Tanto em Suicidas, seu primeiro livro, quanto em Dias Perfeitos e O Vilarejo, a cidade está ali, abrigando cenas ou servindo de ponto de partida para a história. Ao Roteiros, o autor carioca revelou três lugares que fazem parte da sua rotina na cidade e que ele recomenda.

Sebo Baratos da Ribeiro

O sebo que antes ficava em Copacabana e agora está num casarão azul em Botafogo é um ponto cultural icônico da cidade. Aberto desde 2001, tem mais de 20.000 livros, além de vender vinis, e uma intensa programação cultural.

O acervo é especializado em livros de literatura, ciências humanas, cultura pop, divulgação científica, teatro, cinema e música. O escritor já foi assíduo frequentador do evento Clube da Leitura, que acontece no sebo, e cita o local em seu terceiro livro, O Vilarejo.

FACHADA DO SEBO BARATOS DO RIBEIRO
FACHADA DO SEBO BARATOS DO RIBEIRO
  • Rua Paulino Fernandes, 15 – Botafogo
  • http://www.baratosdaribeiro.com.br/
  • (21) 3547-2220
  • Aberto de segunda a sábado, de 11h às 20h

Palácio do Catete

É um espaço muito agradável para dedicar algumas horas. Costumo levar um livro, escolher algum dos bancos do jardim e ficar lá lendo. Além disso, no Palácio, acontece anualmente a Primavera dos Livros, um evento bem interessante de editoras pequenas.

O Palácio do Catete é um ponto histórico no Rio de Janeiro. Foi sede do governo federal de 1897 a 1960 – e palco de um dos principais episódios da política nacional, o suicídio do presidente Getúlio Vargas – e desde os anos 1970 abriga o Museu da República.

PALÁCIO DO CATETE, NO BAIRRO DO CATETE
PALÁCIO DO CATETE, NO BAIRRO DO CATETE
 A ESCADARIA PRINCIPAL DO PRÉDIO, NA ENTRADA DO PALÁCIO (Divulgação)

A ESCADARIA PRINCIPAL DO PRÉDIO, NA ENTRADA DO PALÁCIO (Divulgação)
  • Rua do Catete, 153 – Catete
  • http://museudarepublica.museus.gov.br/
  • (21) 2127-0324
  • Aberto de terça à sexta, de 10h às 17h, e aos sábados, domingos e feriados, de 11h às 18h

Pedra do Leme

Adoro pegar minha bicicleta, andar na orla e descansar no Leme para ler um pouco com a vista estonteante de Copacabana. Vale a pena ler, principalmente, os livros do Luiz Alfredo Garcia-Roza. O autor deu novo tom ao bairro de Copacabana ao contar as aventuras do delegado Espinosa.

A pedra fica no final da orla de Copacabana, na Praia do Leme. Além de ser um dos melhores pontos da cidade para observar o pôr do sol (no mirante), ali há uma área com quiosque ideal para curtir o fim de tarde. Quem quiser explorar mais o local pode subir o morro para visitar o Forte do Leme.

Curiosidade: a pedra leva esse nome porque quando vista de cima, tem um formato bastante semelhante ao do leme de um navio.

 

PEDRA DO LEME, NO RIO
PEDRA DO LEME, NO RIO

 


PARA LER

  • Os Suicidas, Raphael Montes
  • Dias Perfeitos, Raphael Montes
  • O Vilarejo, Raphael Montes