Réplica da La Pietá no Cemitério da Consolação (Patrícia Ribeiro)
Réplica da La Pietá no Cemitério da Consolação (Patrícia Ribeiro)

[dropcap]V[/dropcap]ocê tem medo de almas penadas? Acha que ir ao cemitério é programa de góticos? É melhor repensar os seus conceitos, porque estes lugares são verdadeiros museus ao ar livre e durante o dia não tem nada de mórbido. A exemplo do que acontece em Paris e Buenos Aires, o Cemitério da Consolação também tem visitas guiadas para quem deseja conhecer os túmulos das personalidades, políticos, artistas, saber sobre sua história e admirar as esculturas. Sim, as criptas não desejam nada a desejar aos museus e galerias. O melhor de tudo é que a visita é grátis!

Capela do Cemitério da Consolação, obra de Ramos de Azevedo (Patrícia Ribeiro)
Capela do Cemitério da Consolação, obra de Ramos de Azevedo (Patrícia Ribeiro)

Eu era a única “turista” da visita, já que havia somente alunos de uma escola particular participando da visitação. O legal é que os professores também complementavam as informações do guia com outros fatos interessantes. O arco da entrada já chama a atenção dos visitantes. É obra do arquiteto Ramos de Azevedo,  responsável por muitos prédios históricos de São Paulo como o Teatro Municipal, Mercado Municipal, Palácio das Indústrias, entre outros. A capela de colunas gregas construída em 1902 também é de sua autoria.

 

Os túmulos são verdadeiras obras de arte (Patrícia Ribeiro)
Os túmulos são verdadeiras obras de arte (Patrícia Ribeiro)

A visita ao cemitério da Consolação

Passear entre os jazigos acompanhados do guia Popó é como realmente estar em um museu repleto de histórias e arte. Logo na entrada, há um mapa na parede com os nomes de quem tem jazigo ali e você recebe um mapa com as indicações dos túmulos.

Inaugurado em 15 de agosto de 1808, o Cemitério da Consolação veio substituir o provisório, que ficava na Liberdade. Além de personalidades, abriga muitas pessoas da elite paulistana.  Uma das celebridades mais antigas que está sepultada ali é Domitila de Castro Canto e Melo, mais conhecida como a Marquesa de Santos. Ela doou 4 contos de réis para a construção do cemitério.

Personalidades históricas estão sepultadas neste cemitério ( Patrícia Ribeiro
Personalidades históricas estão sepultadas neste cemitério ( Patrícia Ribeiro

Mas a primeira pessoa sepultada ali não foi nenhum político, artista ou membro da elite. O primeiro sepultado foi o poeta e abolicionista Luiz Gama, filho de português com uma escrava africana. Autodidata, formou-se em direito e iniciou suas atividades contra a escravidão chegando a libertar 500 escravos.

Para mim, os túmulos que estava mais ansiosa para ver era o de Mário de Andrade, Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral.  As criptas dos dois escritores nem são das mais luxuosas, mas para quem admira a obra deles como eu, vale a pena conhecer e ouvir as histórias do Popó. Segundo ele, Mário de Andrade disse a frase: “quando eu morrer afundem meu coração no Pátio do Colégio.”

[button url=http://roteirosliterarios.com.br/onde-descansam-os-escritores/ target=blank size=14 icon=add]LEIA MAIS: ONDE DESCANSAM OS ESCRITORES[/button]

A lápide de granito de Monteiro Lobato também está lá, porém sofreu ação de vândalos, que roubaram uma coroa de bronze.  O escultor Victor Brecheret era procurado pelas pessoas para fazer obras nas criptas. É dele este anjo moderno de 1938 que adorna o jazigo de uma família.

Escultura de Victor Brecheret em uma lápide (Patrícia Ribeiro)
Escultura de Victor Brecheret em uma lápide (Patrícia Ribeiro)

Outras personalidades

O médico e jornalista Líbero Badaró também está sepultado lá. Imigrante italiano, quando chegou ao Brasil ficou admirado ao saber que as pessoas eram enterradas na igreja. Preocupado com a saúde da população teve a ideia de fazer um cemitério ao ar livre.

Mas um dos túmulos que chama mais a atenção são da família Matarazzo, que impressiona pelo tamanho e detalhes. Uma das famílias mais ricas e tradicionais de São Paulo era de se esperar que a cripta fosse suntuosa.

As obras impressionam (Patrícia Ribeiro)
As obras impressionam (Patrícia Ribeiro)

 

Verdadeiras obras de arte no cemitério da Consolação (Patrícia Ribeiro)
Verdadeiras obras de arte no cemitério da Consolação (Patrícia Ribeiro)

Além desses nomes citados, há muitas outras pessoas famosas como o próprio Ramos de Azevedo, políticos como Campos Salles, Ademar de Barros, a pianista Guiomar Novaes,  o arquiteto Flávio Império, o compositor Paulo Vanzolini e outros.  Para quem gosta de história e arte (e não tem medo de cemitério), uma visita que vale muito a pena.

O guia Popó conta histórias sobre os mortos famosos (Patrícia Ribeiro)
O guia Popó conta histórias sobre os mortos famosos (Patrícia Ribeiro)

A visita guiada é feita somente com agendamento e acontece às terças, das 9h30 às 11h e sextas, das 14h às 15h30. Quem quiser ir sem agendar, há um mapa com a indicação dos túmulos das personalidades e um Qr-Code.  você tem que baixar um aplicativo e apontar a câmera do celular para o QR-Code que imediatamente levará para um site com a biografia da personalidade.

O cemitério abre todos os dias da 7h às 17h. Rua da Consolação, 1660.


[button url=http://google.com icon=pin]CEMITÉRIO DA CONSOLAÇÃO[/button]

[put_wpgm id=139]


*Este post foi publicado por Patrícia Ribeiro no site Passeios Baratos em SP. O site reúne vários roteiros GRATUITOS E DE BAIXO CUSTO para fazer na cidade. VISITE E PROGRAME-SE!