por Andréia Martins


Os cronópios já têm uma esquina para chamar de sua em Buenos Aires: no ponto onde as ruas Cabrera e Medrano se encontram, no bairro de Palermo, desde dezembro de 2015 funciona o Café Cortázar (na rua Cabrera, 3797 – Palermo), um espaço gastronômico que recebe shows de jazz e exposições e que, claro, celebra o escritor Julio Cortázar por todos os seus cantos. Curiosamente, este é o primeiro café na cidade dedicado ao autor, referência na literatura argentina e latino-americana.

Aberto em um prédio construído em 1889, o café reúne trechos de histórias de Cortázar, fotos do escritor e de suas esposas e bichos de estimação (Teodoro e Fanelle), uma biblioteca com livros do autor e outros sobre sua obra, um mural pintado com imagens do escritor feito pelo artista plástico Ricardo Villar (está foi sua última obra), além de uma máquina de escrever, luvas de boxe e outros objetos. As mesas também são inspiradas nos bares parisienses que o escritor argentino descreve no livro O Jogo da Amarelinha. O espaço também recebe cursos de escrita criativa, apresentações teatrais, rodas de conversa, entre outros eventos que você pode conferir na agenda no site.

FACHADA DO CAFÉ CORTÁZAR, EM BUENOS AIRES (FOTO: Nashi Contenidos)
FACHADA DO CAFÉ CORTÁZAR, EM BUENOS AIRES (FOTO: Nashi Contenidos)

“Os fãs gostam muito do que veem. Trazem amigos e familiares para compartilhar um momento especial. Os vizinhos já chamam o lugar de seu café da esquina. As famílias também gosta porque é um café tranquilo para crianças, e há ainda turistas que trazem livros em homenagem ao ‘cronópio maior'”, nos conta Romina Metti, responsável pela comunicação do café.

Bem, qual livro a equipe do café recomenda para ler ali? “É muito difícil escolher um, quase todos são ideais para serem lidos aqui. Mas, as histórias de livros como A volta ao dia em 80 mundos são um pouco como a vida que acontece dentro do café: ali, você pode encontrar de tudo um pouco”, diz Metti.

 

MURAL FEITO PELO ARTISTA RICARDO VILLAR, NO CAFÉ CORTÁZAR (FOTO: Nashi Contenidos)
MURAL FEITO PELO ARTISTA RICARDO VILLAR, NO CAFÉ CORTÁZAR (FOTO: Nashi Contenidos)
LIVROS DA BIBLIOTECA DO CAFÉ (Foto: Nashi Contenidos)
LIVROS DA BIBLIOTECA DO CAFÉ (Foto: Nashi Contenidos)
Retratos
DECORAÇÃO NO CAFÉ CORTÁZAR (Foto: Nashi Contenidos)

O MENU CORTAZIANO

A homenagem ao autor se estende ao menu. Vários pratos servidos no café foram nomeados em referência a livros e personagens de Cortázar, como um prato de salada chamado “La Maga” (em homenagem à personagem do livro Jogo da Amarelinha).

Ensalada
SALADA SERVIDA NO CAFÉ CORTÁZAR (Foto: Nashi Contenidos)
O CAFÉ SERVE TODO O TIPO DE PRATO: LANCHES, SALADAS. CARNES E APERITIVOS (FOTO: Nashi Contenidos)
O CAFÉ SERVE DIVERSOS PRATOS: LANCHES, SALADAS. CARNES E APERITIVOS (FOTO: Nashi Contenidos)
SALÃO DO CAFÉ CORTÁZAR (FOTO: Nashi Contenidos)
SALÃO DO CAFÉ CORTÁZAR (Foto: Nashi Contenidos)
PRATO SERVIDO NO CAFÉ CORTÁZAR (Foto: Nashi Contenidos)
PRATO SERVIDO NO CAFÉ CORTÁZAR (Foto: Nashi Contenidos)

 


PARA LER

  • O Jogo da Amarelinha, de Julio Cortázar
  • Histórias de famas e cronópios, de Julio Cortázar